Paul McCartney em Porto Alegre 13/10/2017

Paul McCartney em Porto Alegre 13/10/2017

Por Marco Antonio Mallagoli
Fotos João Paulo Mallagoli
Algumas fotos cedidas pela Time For Fun

(Em função da proibição dos produtores de autorizar nossos fotógrafos a fazer seu trabalho e não permitir que tirássemos fotos com câmeras de qualidade, somos obrigados a ilustrar a matéria com as fotos cedidas pela produção. Nossa luta para sempre trazer à vocês fotos exclusivas em nosso site e revista não parou ai, aguardem os outros shows)

002
Bastidores do show

Há uma semana na cidade de Porto Alegre, chove.
E a cada dia a chuva aumenta e a quantidade de raios e trovoadas é assustadora.
Paul McCartney chega a cidade enquanto embaixo de chuva sua equipe monta o palco e instala os equipamentos para o show. É um trabalho muito grande e piora as condições embaixo de chuva.
A equipe dele sofre, mas não desiste e deixa tudo pronto para o show.
Boatos circulam na cidade que se houver raios e trovoadas, ele não entra no palco e não faz o show, mas são apenas boatos, nada confirmado pela equipe dele.
Jornais, revistas, rádios e TVs começam a dar notícias sobre o show, entrevistas com “personalidades locais”, eventos paralelos, enfim tudo que possa acrescentar algo ao show dele e à espera do ansioso público.
Afinal ele escolheu Porto Alegre para abrir a tour brasileira de 2017 e isso deixa os gaúchos (e gaúchas) orgulhosos.
Até a cônsul britânica do Rio Grande do Sul, Denise Crawshan-Pellin, fá de Paul e dos Beatles, se coloca à disposição do cantor e sua equipe, mostrando assim a importância da visita dele ao Rio Grande do Sul.

we three
A Consul britânica Denise, o marido Ricardo Pellin e Mallagoli
na Exposição Revolution no Praia de Belas Shopping

No Praia de Belas Shopping, uma exposição unindo Beatles, Paul McCartney e crianças acontece de 4 a 15 de outubro, potencializando assim o show e trazendo ao público um evento de qualidade e que agrada a todos, tanto que fica lotado todos os dias.
(veja no link - http://www.beatlesrevolution.co.uk/index.php?option=com_content&view=article&id=807:exposicao-revolution-beatles-beatles-kids-and-fans-no-praia-de-belas-shopping-em-porto-alegre&catid=37&Itemid=63

stu mam mj kim
Stu Dawbell, Mallagoli e MJ Kim na Exposição Revolution
no Praia de Belas Shopping

O assessor de imprensa,Stu Dawbell e o fotografo oficial MJ Kim de Paul Mccartney, fazem uma visita ao shopping para ver o evento e estudar uma possibilidade de Paul McCartney fazer uma visita ao local.
Várias bandas fazem shows em homenagem a Paul e aos Beatles e entre elas a incrível “The Good Times” realiza um show no pub “Sgt. Pepper´s” – quer mais Beatles que isso?
Resultado, casa lotada de fãs do Brasil todo.
Veja no link -
http://www.beatlesrevolution.co.uk/index.php?option=com_content&view=article&id=806:the-good-times-band-faz-show-em-porto-alegre-dia-12-10-2017&catid=38&Itemid=63

Tudo na cidade vira mágica.

001
Banners do show, fora do estádio Beira Rio

A expectativa dos gaúchos (e gaúchas) se junta a milhares de fãs brasileiros e muitos de outros estados, que não terão o show do cantor, acabam vindo à cidade para aumentar a vibração e a energia positiva da cidade.
O Brasil inteiro fica na expectativa do primeiro show da tour em Porto Alegre e as mídias sociais fervem com as notícias do show.

E no dia do show, a chuva continua forte, fazendo as pessoas pensarem melhor se vão ou não ao show, mas aqueles que compraram ingressos (quase que esgotados), não desistem, se armam de capas e vão para o estádio.
O Praia de Belas Shopping, por ser próximo ao estádio faz uma promoção no estacionamento para os fãs que vão ao show e cobra R$ 12,00 por carro (em São Paulo, no ultimo show no Allianz era R$ 100,00 por carro, que estacionasse no shopping encostado ao estádio), ajudando os fãs, que já pagaram uma grana pelo ingresso.

O estádio vai enchendo de pessoas aos poucos e logo parece lotado, apesar de poder ver alguns clarões na Pista Prime, e a vibração do público é enorme, percebe-se grande ansiedade em todos.
O músico gaúcho Frank Jorge abre o show, mas eu só consegui entrar no estádio após ele ter encerrado o seu show e não percebi nada de especial do público, enquanto me dirigia a entrada da imprensa.
Mas imagino que não oi de agrado geral, afinal todos que estavam ali foram para ver Paul McCartney e por mais famoso, ou conhecido que o Frank Jorge fosse, imagino que as pessoas não estavam muito a fim de ouvi-lo, afinal era a noite do maior musico do Universo.

012
Parte do equipamento de Paul McCartney

Aquele chato de DJ, amigo do Paul faz suas estripulias no palco e toca músicas dos Beatles e de Paul misturadas com balanços de “bate estaca” e outras “sonoridades e efeitos” (ou seriam defeitos) totalmente dispensáveis.
Percebo que o público, assim como eu se impacienta com ele e não entendi até hoje o porquê esse cara abre sempre os shows do Paul.
O telão com um novo visual, mas a maioria das fotos mostradas são as mesmas de sempre, aliás muito boas, misturando Beatles, Paul em diversas fases da vida, e alguns amigos importantes dele.

Finalmente entra o telão que antecipa o show e a vibração no estádio fica mais forte, as pessoas começam a gritar, a se entusiasmar, sentindo a presença cada vez mais próxima de Paul no palco.
Ele entra e recebe uma ovação de todo o estádio, percebo as pessoas próximas a mim, dizendo aos amigos frases de emoção e perplexidade ao ver o eterno Beatle no palco.

003

Paul entra com “A Hard Days Night”, com a banda cantando junto a ele as partes do John e quando ele entra na parte dele da música a gente percebe
e sente o Beatle em ação. O estádio canta junto.

Em seguida “Junior´s Farm”, super bem tocada, fiel ao arranjo original do disco (um compacto simples de 1972, que por sinal foi sucesso aqui no Brasil) , mas a maioria das pessoas que estão no show, estranham a música.
Os fãs mais hard cores, como eu, adoram esse música.
Ao terminar ele entra em português com o famoso “Boa Noite Porto Alegre” e o estádio vai abaixo.

004

Ele prossegue o show, veja o set list no final e entre as músicas fala sempre um pouco em português, usando sempre frases regionais e palavras usadas no dia a dia das pessoas da cidade, como “tri-legal”, por exemplo.
Ele, entre uma das músicas, diz: “Oi gaúchos” e a vibração é grande, mas logo ele emenda com “Oi gaúchas” e a vibração aumenta consideravelmente.

Percebi um pouco de dificuldade no final de “Got to get you into my life”, pois ele não chegou nas frases mais altas da música, pelo menos não como ele costumava cantar.
Vi que a voz dele, apesar de continuar maravilhosa e única, parecia falhar em determinados momentos, mas ele sempre fazia algo para amenizar isso e confesso, me preocupou um pouco, mas ao mesmo tempo fiquei aliviado ao ver que a criatividade dele, em fazer essas pequenas falhas se transformarem em uma mudança no arranjo, continua intacta e cada vez mais certeiras.

Algo o incomodava, acho que a obrigação de terminar o show antes da meia-noite, exigência (absurda) das autoridades locais e para isso, o show foi antecipado em meia hora, iniciando as 21:00 horas ao invés da programada 21:30 horas.
Mas esse fato foi alardeado pela mídia e todos que lá estavam tinham ciência dessa mudança de horário, e não prejudicou ninguém.

005

Ele conseguiu fazer com que todo o estádio fizesse o coro de “Spite of all the danger” (música creditada a McCartney-Harrison), que ele explicou no início, foi a primeira música que os Beatles gravaram – está na trilha sonora da maravilhosa série “Anthology” de 1996, no primeiro disco, o acetato original.
Esse disco estava com um dos “Quarrymen” originais, John Lowe que pegou o disco, e segundo Paul se esqueceu de devolver por mais de 30 anos.
Paul arrematou acetato com John Lowe por uma pequena fortuna para fazer parte da série “Anthology”, após uma bela remasterização.
Na época, eles juntaram o dinheiro do disco, dividindo os custos da gravação entre os integrantes da banda e combinaram de ficar com o acetato, uma semana com cada um.
O disco foi gravado no estúdio caseiro de “Percy Phillips” em Liverpool, supostamente no dia 12 de Julho de 1958 e a banda “Quarrymen” era composta por John Lennon, Paul McCartney, George Harrison, John Lowe (no piano) e Colin Hanton na bateria.
Na verdade apesar da músicas ter sido creditada a George Harrison como co-autor, ele criou o solo, e por isso o credito, apesar da música ter sido composta por McCartney.

Tocou músicas do Sgt. Pepper´s, fez as homenagens a John e George e dessa vez acrescentou “Love Me Do” homenageando o maestro e amigo George Martin.

006

Em “I wanna be your man”, com o arranjo bem parecido ao original dos Beatles, apenas com as guitarras mais pesadas e o solo do meio diferente do que George fez, criado por Rusty Anderson, ele anunciou assim – “essa música eu e John fizemos para os Rolling Stones”.
Diz a lenda da época que os Rolling Stones, que gravaram na Decca por indicação de George Harrison, após lançar o primeiro compacto com “C´Moon” não conseguiram chegar ao primeiro lugar das paradas musicais e foram pedir uma música aos Beatles, foi então que John e Paul foram ao estúdio ( no dia 10/09/1963) onde os Stones ensaiavam e compuseram a música “I wanna be your man” na frente dos Stones e isso impulsionou a surgir uma nova dupla de compositores “Jagger & Richards”.
Essa música foi lançada em compacto simples com os Rolling Stones e chegou ao almejado primeiro lugar das paradas de sucesso.
Os Beatles a lançaram no LP “With The Beatles”, seu segundo Lp, com Ringo cantando a música.

Ele fez um refrão no violão e disse – foi esse refrão que me fez compor essa música e tocou “You won´t see me”, que há tempos ele não tocava ao vivo e que os Beatles nunca a tocaram ao vivo.
Essa música foi sucesso no Brasil, com uma versão gravada por Renato e Seus Blue Caps, que foi chamada em português de “Até o Fim” (versão de Lilian Knapp).

007

Ao tocar as músicas do disco “New”, ele arriscou dizer em português a palavra “rrrrrrrecente” e disse com certa dificuldade, arrastando bem o “r” e achou engraçado isso e repetiu a palavra diversas vezes, fazendo cara de quem não se conformava com uma palavra “tão difícil assim de se pronunciar”. Foi hilário.

008

Tocou a música “FourFiveSeconds” e novamente anunciou como a sua música mais “rrrrrrrrrecente”, repetindo a palavra de novo, várias vezes e não se conformando com isso.
Então ele perguntou se a plateia estava entendendo as palavras em português e foi ovacionado de novo.

Posso dizer que se você perdeu esse show não sabe o que perdeu, mas corra que ainda dá tempo de ir a São Paulo (15/10), Belo Horizonte ( 17/10 - tem muito ingresso ainda a venda) e Salvador – (20/10 – ainda tem ingressos).

009

O set list do show foi quase que o mesmo que ele vem fazendo desde que começou esse tour em 13 de abril de 2016, em Fresno, Califórnia, USA, com pequenas alterações,veja abaixo:

  • A Hard Day's Night
  • Junior's Farm
  • Can't Buy Me Love
  • Jet
  • Listen To What The Man Said
  • Let Me Roll It
  • I've Got A Feeling
  • My Valentine
  • Nineteen Hundred And Eighty-Five
  • Maybe I'm Amazed
  • I've Just Seen A Face
  • In Spite Of All The Danger
  • You Won't See Me
  • Love Me Do
  • And I Love Her
  • Blackbird
  • Here Today
  • Queenie Eye
  • New
  • Lady Madonna
  • Four Five Seconds
  • Eleanor Rigby
  • I Wanna Be Your Man
  • Being For The Benefit Of Mr Kite!
  • Something
  • Ob-La-Di, Ob-La-Da
  • Band On The Run
  • Back In The USSR
  • Let It Be
  • Live And Let Die
  • Hey Jude

Bis (dessa vez ele fez apenas um Bis)

  • Yesterday
  • Sgt Pepper's Lonely Hearts Club Band
  • Helter Skelter
  • I Saw Her Standing There
  • Golden Slumbers
  • Carry That Weight
  • The End

010

A banda que o acompanhou e que vem com ele desde 2.000 é a seguinte:

Paul “Wix” Wickens – teclados, vocal, guitarra, percurssão e gaita
Brian Ray – guitarra, baixo e vocal
Rusty Anderson – guitarra e vocal
Abe Laboriel Jr.- bateria e vocal

Compre pelo nosso site, com exclusividade as revistas “Paul in Brazil vol. 1” e “Paul in Brazil vol. 2”, informações nos links abaixo –

Paul in Brazil vol. 1
http://www.beatlesrevolution.co.uk/index.php?option=com_content&view=article&id=694:revista-paul-in-brazil-vol-1-edicao-especial-e-limitada&catid=40&Itemid=159

Paul in Brazil vol. 2
http://www.beatlesrevolution.co.uk/index.php?option=com_content&view=article&id=715:revista-paul-in-brazil-vol-2-edicao-especial-e-limitada&catid=112&Itemid=172

011
O Beira Rio estava lotado para o maior show do Universo


Agradecimentos ao pessoal da Time For Fun, em especial a Regis Motisuki e ao amigo Vitor Deyrmandijian Rosalino e a toda equipe internacional do Paul McCartney, em especial ao Stu Dawbell e ao MJ Kim.(principalmente pela visita à nossa Beatles Exposição no Praia de Belas Shopping)